segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Respostas sobre experimentações com animais

respondendo minha querida amiga déa, que se mostrou interessada em discutir os direitos animais (ver seu comentário no post anterior):

bem, quanto à questão da experimentação com animais, com certeza eu me sinto mal com isso, como quando minha mãe contou sobre cãezinhos que minha irmã, que faz Medicina, acabou matando, fazendo cirurgias de teste, que eles não precisavam.

eu estou nessa pelo que for possível; com certeza, é possível ser vegetariano e evitar outros produtos que vieram de animais, principalmente de sua morte, como couro e lã.

mas quanto à essa questão de experiências científicas, eu não sou especialista no assunto, mas posso falar pelo que estudei até agora:

a maioria dos estudos que têm sido feitos com animais normalmente não são publicados, nem são inovadores, e nem trazem de fato benefícios para o ser humano. experimente pesquisar isso. será que conseguimos encontrar pesquisas realmente sérias que contribuem mesmo pela vida dos humanos? provavelmente, mas não são todas.

lembrar que cada vez mais há alternativas tecnológicas, e há muitas pesquisas fúteis (fins apenas comerciais, não essenciais), como para cosméticos e bebidas; como a vida dos animais não humanos é totalmente desprezada, os cientistas acabam com eles à vontade, aos milhares; falta senso de humanidade, isso é fato.

de todo modo, tudo o que estou encontrando e apontando é uma direção; se não puder 100%, que tentemos 90%, ou até 50% de atitudes que possam minimizar o sofrimento dos animais. eu mesmo não sou vegano; sou simplesmente vegetariano, por exemplo.

---------------
Dois posts já publicados sobre o assunto

bem, veja estes dois posts que já publiquei sobre o assunto e seus comentários...

Não ao uso de animais no ensino: http://stoa.usp.br/mauriciokanno/weblog/4811.html
(neste post muita gente comentou, e eu comecei a experimentar esse debate; o fato é que eu coloquei a cara pra bater aqui, novatão na área, defendendo algo mais radical, mas que me pareceu interessante.)

Faculdade de Medicina do ABC é a primeira a proibir experimentação com animais vivos na graduação: http://stoa.usp.br/mauriciokanno/weblog/5916.html (e aqui a coisa começa a ficar mais concreta, prática; uma das professoras envolvidas na proibição de uso de animais no ensino até comentou no meu post, esclarecendo melhor)

--------------

e para não faltar com minhas citações, para não ficar só uma coisa de "só foi o Maurício que disse", lá vai o filósofo catedrático Peter Singer:

"Entre dezenas de milhões de experimentos realizados, pode-se considerar que apenas alguns contribuem para pesquisas médicas importantes. (...) Muitos outros animais são utilizados com fins comerciais, para testar novos cosméticos, xampus, corantes alimentícios e outros produtos não essenciais. Tudo isso só é possível graças ao nosso preconceito de não levar a sério o sofrimento de um ser que não é membro de nossa própria espécie. (...)

[Os que defendem o experimentos] não podem negar o sofrimento dos animais, pois precisam ressaltar as semelhanças entre humanos e outros animais para alegar que seus experimentos podem ter alguma relevância para fins humanos." (p. 44 do livro Libertação Animal, de Peter Singer, catedrático de Bioética em Melbourne)

O professor Singer diz também: "(...) para se opor ao que acontece hoje, não é preciso insistir em que cessem imediatamente todos os experimentos em animais. Tudo o que precisamos dizer é que os experimentos que não servem a objetivos diretos e urgentes devem cessar imediatamente e, nos demais campos de pesquisa devemos buscar, sempre que possível, a substituição dos experimentos que envolvam animais por métodos alternativos, que não os utilizem." (p. 45)

Já seria um bom passo.
--------

o que você acha?

4 comentários:

Dea Soares disse...

obrigada pela resposta!
concordo com o que vc falou e com as citacoes, com a necessidade de se evitar experimentos superfluos, mas acredito que dificilmente sera possivel substituir 100% certas experimentacoes...
enfim, acho que temos um ponto pacifico nisto! :D
bjos p vc e pra minha xara!!

Mao disse...

rsrs

q bom!

mas realmente, enquanto nao se lutar para que se reduzam tais experimentos, eles não mudarão... enquanto a opinião pública não se sensibilizar com isso, munida de informações, isso não acontecerá...

agora, você perguntou bastante, e eu me esforcei em responder... assim como aos outros da turma; mas você não me respondeu, após as minhas opiniões e as citações com informações que coloquei... qual é sua opinião a respeito disso todo, como o vegetarianismo, direitos animais, etc.? vai pensar sobre o assunto? rsrs (não precisa dar sua opinião agora... dá trabalho formar uma opinião concreta e bem fundamentada a respeito...)

normalmente as pessoas logo de cara têm uma opinião pronta contrária, mas em geral também é porque não estudaram sobre o assunto de maneira mais profunda. o assunto é tabu.

abs e bjs,
xe

Anônimo disse...

oi!
s os testes feitos com células humanas in vitro vindo a substituir os testes realizados em animais são mais barato, mais rápidos e tb apresentam maior precisão.........pq ainda insistem em fazer os testes em animais??? qual o verdadeiro interesse???

L4ncelot disse...

Bem...para quem entende realmente a idéia, ou, coloquemos assim, a simplicidade do vegetarianismo, é necessário dizer que é preciso acabar com qualquer tipo de experiência, seja ela mais ou menos "importante". Primeiro, essa importância e ou progresso citado são falsos. Nada justifica o uso de animais como cobaias. A questão não é o tipo de animal ou a "importância" duma experiência... o abuso, "futilidade", especismo e sofrimentos sempre irão existir.Digo isso porque:Usa-se ratos em laboratório e pouca gente se preocupa com isso. Se se usa cachorros, a polêmica vem a calhar. Mas aí eu reitero: Não há diferença. As pessoas que usam os ratos dizem que isso é "para o bem da ciência" e, assim eu digo:Essas mesmas pessoas, que podem usar somente ratos, usarão sem dúvida cachorros numa experiência em que não for possível usar-se os ratos.Não é à toa que cachorros, macacos, gatos, coelhos etc são usados em abundância. Portanto, não me venham dizer sobre o que é preciso proibir, pois a proibição deve ser generalizada. Pelo menos para mim, vida é vida, não sei(e não cabe a mim)e nem acho que é preciso escolher qual será extinguida na mesa do laboratório. É isso. Foi mal pelo "comentário" gigante. Mas achei que fosse viável.