sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Mensagem ao SAC do McDonald's sobre Veggie Crispy


"Olá, tudo bem?

Gostaria inicialmente de parabenizar a rede McDonald's por oferecer o lanche Veggie Crispy, demonstrando respeito pelos vegetarianos e pela vida dos animais.

Fiquei um pouco desconfiado quando soube que o McDonald's estava oferecendo um lanche vegetariano. Perguntei aos funcionários (creio que da unidade próxima ao Sesc Pompéia, na Av. Matarazzo, e me disseram que não ia nada de carne, nada de origem animal). Então aceitei e fui comprar o lanche, que tem um gosto muito bom.

Mas hoje, via fóruns pela internet, li o relato de que: http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=115855&tid=2545887827299510248&na=3&nst=11&nid=115855-2545887827299510248-2545895687128740039

"O aroma de frango, questionado no e-mail, foi naturalmente obtido para tornar o Veggie Crispy mais apetitoso e encorpado."

Essa teria sido uma resposta do SAC da Rede McDonald's. Bem, mas se é um lanche veggie, de vegetariano, não é correto colocar nada de origem animal, ou seja, que implique matança de animais, correto? Ainda que, como diz outro cliente, de acordo com outra resposta do SAC:

"O aroma pode ser de origem vegetal ou animal. O índice é próximo a zero."

Não concordo com isso. Tenho consumido esse lanche no McDonald's nos últimos meses, e agora que descobri isso me sinto enganado. É perfeitamente possível elaborar lanches deliciosos com 0% de aroma e de morte animal. Vegetarianos não querem ser responsáveis por mortes deliberadas de animais.

Na apresentação do lanche, em http://www.mcdonalds.com.br/produtos/veggie_crispy.asp , o título-slogan do produto é "Uma ótima opção para vegetarianos". Mas, se há algo proveniente de frango, não é uma ótima opção para vegetarianos.

Novamente, parabenizo vocês por um lanche praticamente sem morte animal; mas se ainda há uma fração dela, por favor, solicito que a receita do Veggie Crispy seja levemente alterada, retirando-se o aroma natural de frango. Não há qualquer necessidade de aroma de frango em um lanche "veggie".

Quando isso for solucionado, eu voltarei a consumir o lanche de vocês.

Aguardo retorno,
Maurício Kanno"

------------------------------

Eu tenho comido esse lanche no McDonald's... Hoje mesmo fui comer lá, e finalmente minha esposa também me acompanhou com um Veggie. Não sabia bem dessa história de parte da receita incluir frango. Sabia que havia rumores, mas agora que li naquele tópico no orkut, da maneira detalhada, com respostas do SAC... agora ficou claro.

Não volto mais lá antes que essa receita seja mudada. Enviei uma solicitação ao McDonald's. Espero que seja possível confiar em eventuais mudanças.

Atenção ao detalhe: parabenizei a rede por incluir uma opção PRATICAMENTE vegetariana. Isso já é ótimo, e precisa ser estimulado. Com certeza, se maltrata muito menos os animais desta maneira.

No entanto, há ainda uma matança mínima, MAS DELIBERADA, ou seja, proposital, de animais, no caso, galinhas (frangos). Esse é o ponto.

------------

Tom Regan, no livro Jaulas Vazias, aponta que vegetarianos também não vivem sem causar algumas mortes animais. E por isso também não podem se vangloriar de serem assim tão "puros". Mas elas mortes não são deliberadas. Essa é a diferença.

Exemplos: Veja o algodão, por exemplo. Por causa dos produtos químicos que são aplicados ao algodão, levados pelas águas, matam peixes e outros animais. E ainda outros animais são mortos quando lavradores mecanizados preparam o solo para o plantio.

Quanto aos sapatos e cintos feitos com couro falso (sintético): são sub-produtos da indústria petroquímica. Isso significa derramamento de óleo, e números incontáveis de animais feridos e mortos.

Mais detalhes sobre a imagem dos defensores dos direitos animais em meu post: http://blog.kanno.com.br/2007/08/imagem-dos-defensores-dos-direitos.html

2 comentários:

Erica disse...

Oi, Xe

Aqui no Brasil praticamente não existem opções vegetarianas nos restaurantes "comuns" (que servem carne). Óbvio que não é raro haver um prato vegetariano (como saladas e massas), mas o cardápio nunca indica que é vegetariano.

Mas em outros países que visitei, como a Índia e os EUA (no caso, Nova York), isso é uma prática comum. Sempre existe a indicação no cardápio dos pratos livres de ingredientes animais.

Existe um público vegetariano muito mais consolidado em outros países do que no Brasil. A cultura da carne aqui é muito forte, mas tenho certeza de que os vegetarianismo vai crescer. Talvez não pelos motivos certos (como em NY, onde as pessoas são saudáveis, naturebas e ecochatas porque é cool), mas enfim.

Mao disse...

oi, érica! muito obrigado pelos dois comentários que você fez em meu blog! agradeço mesmo por sua atenção e suas opiniões!

interessante sua informação de como está a situação em termos de transparência vegetariana na Índia e NY. legal a preocupação com esse público consumidor. de fato, o brasil está incipiente neste processo.

Fico feliz de você acreditar que o vegetarianismo vai crescer. E ainda mais em você acreditar que haja "motivos certos" para ser vegetariano.

No entanto, penso que não há como o vegetarianismo crescer baseado em "ser cool". Por motivos de moda, realmente esse comportamento pode ir e vir, como a moda. De qualquer maneira, seja qual for o motivo, é ótimo que cresça, pelas consequencias que isso traz.

abs e bjs,
xe