quinta-feira, 3 de abril de 2008

Sobre a "glamourosa" profissão de Jornalismo e outras opções pessoais de carreira

A profissão de Jornalismo é mesmo muito difícil, especialmente em termos financeiros versus dedicação. Mas a realização de ter a experiência de conhecer pessoas e situações diferentes; fazer uma entrevista, uma apuração instigante, escrever, fotografar, editar, e/ou falar e gravar e ver tudo isso publicado também é muito grande. Não é sempre que acontece do jeitinho que a gente queria, mas mesmo assim tudo isso é muito bom, deixa muito feliz.

E apesar de nem sempre ser possível, durante seu trabalho, difundir idéias para uma sociedade melhor, de vez em quando é sim, e isso já é ótimo: novamente, atrai felicidade. E ao mesmo tempo em que se faz isso se consegue ganhar algum dinheiro. Não acho interessante realizar alguma atividade de longo prazo se for exclusivamente para minha sobrevivência financeira.

Possibilidades do passado e do futuro

Mesmo após formado, se eu pudesse voltar no tempo, eu não concluiria meu curso de Engenharia interrompido, nem faria Administração ou Direito, carreiras tipicamente que enriquecem mais. Especialmente não gostaria de trabalhar diretamente com indústrias ou capital, como com bancos e Economia. Sim, talvez isso pareça meio ingênuo de minha parte, mas não é o que gostaria para mim.

Quem sabe Medicina (o máximo que eu poderia chegar em termos de carreira que poderia enriquecer mais ainda assim pouco provável para mim), Biologia ou Gestão Ambiental (apesar de que antigamente não tinha interesse algum pelas carreiras de Biológicas). É possível que eu faça uma graduação ou pós nessas áreas ainda. Ou ainda quem sabe em Filosofia (que também já comecei antes), Sociologia ou Educação.

Outra opção era ter buscado me dedicar mais cedo para Artes, e ter tentado uma faculdade na área também. Mas aí teria que voltar mais no tempo ainda. Estou tentando pós-graduação nesta área agora.

É claro que minha situação financeira não é nem um pouco boa, mas eu me viro. Posso dizer que, apesar disso, estou satisfeito e feliz, sim. Ainda mais se eu puder continuar viajando para o exterior e para mais partes do Brasil, conhecendo mais pessoas diferentes, difundindo mais idéias pacíficas para uma sociedade melhor, e continuar a exercer atividades típicas e diversificadas de minha profissão.

[Idéia de post tirada da lista cje_eca@yahoogrupos.com.br, departamento da faculdade em que me formei, no tópico "Para você que estiver começando no jornalismo...", com um total de 45 e-mails, praticamente sempre com idéias de desânimo e sugestões de desistência do curso e da profissão.]

Um comentário:

Andréa N. disse...

Boa sorte no jornalismo, Maurício. O mundo precisa mais e mais de bons profissionais.

Tô indo hoje participar de outro protesto. Dessa vez em frente a um KFC com um grupo grande de pessoas que não se conformam com a cara de pau desse caras e a forma como os pássaros são tratados nas fábricas deles. Leia mais aqui: KentuckyFriedCruelty.com

Depois conto como foi. Abraço.